loader

Amizade entre macaca e cachorro diverte moradores em Alegrete; VÍDEO

  • Home    /
  •    Notícias    /
  • Amizade entre macaca e cachorro diverte moradores em Alegrete; VÍDEO
Amizade entre macaca e cachorro diverte moradores em Alegrete; VÍDEO

Chita, como foi batizada a bugia, brinca não só com o cachorro, mas também com todos que passam pela praça onde vive, no Centro da cidade.

Amizade entre macaca e cachorro diverte população em Alegrete Uma amizade diferente, mas nem por isso menos especial, tem divertido quem passa pela Praça Nova, no Centro de Alegrete, na Fronteira Oeste do Rio Grande do Sul: entre uma macaca da espécie bugio e um cachorro vira-lata.

"A amizade que tem o cachorro com a macaca… Tem gente que se apavora! Que nunca tinha visto na vida um cachorro brincar com uma bugiazinha assim.

E ele corre, se deita.

E ela agarra e puxa a gola dele", ri o taxista Paulo Roberto Gonçalves.

Macaca e cachorro brincam em praça no Centro de Alegrete, na Fronteira Oeste do RS Pedro Fernando Dembogursky/Arquivo pessoal Gonçalves trabalha em um ponto de táxi que fica junto à praça – e a macaca, apelidada de Chita, está sempre à volta.

"Ela entra aqui pela janela e só falta atender o telefone", brinca Flávio Paim, colega de Gonçalves no ponto.

Chita vive nas árvores da Praça Nova, mas, de vez em quando, desce para visitar a casinha de um amigo, um cachorro que é cuidado pelas pessoas dos arredores.

A brincadeira entre eles já ganhou até narração especial (veja no vídeo acima).

"Ela se dá com todo mundo.

Vem aqui no ponto, brinca.

Um dia, eu estava tomando chimarrão de manhã aqui no táxi, ela veio e abraçou a minha perna.

Depois, eu sentei no banco da praça, ela foi junto comigo e subiu no meu colo", conta Paim.

Chita faz amizade com todo mundo que frequenta a Praça Nova, em Alegrete RBS TV/Reprodução Comportamento inusual e perigoso, diz primatóloga A primatóloga Vanessa Barbisan Fortes conta que qualquer animal silvestre, por mais que pareça manso, tem comportamento imprevisível.

Por um motivo qualquer, ele pode se assustar e morder, por exemplo.

"Não é uma relação usual.

É uma relação que seria inesperada, provavelmente porque esse cão especificamente é manso.

Mas é um risco para o bugio, na verdade, esse tipo de interação, porque, no momento em que ela habituar e passar a identificar o cachorro como um animal não perigoso, ela pode vir a ser atacada por algum outro cão, que é o mais comum", diz.

Vanessa, que estuda o comportamento de bugios, diz que a Chita encontra nas folhas, flores e frutos da praça os alimentos que precisa para viver.

Ela entende que o bugio é um animal que causa empatia no público, mas, para Chita, o ideal seria que ela estivesse junto de um bando da própria espécie.

E faz um alerta para as pessoas que brincam com ela.

"Enquanto ela estiver ali pela praça, vai lá observar, vai tirar fotografia, mas não se aproxima e não tenta alimentar.

Essas recomendações são importantes", explica.

A macaca Chita nos galhos das árvores da Praça Nova, em Alegrete RBS TV/Reprodução VÍDEOS: Tudo sobre o RS


Publicada por: RBSYS

BAIXE NOSSO APP

Utilize nosso aplicativo para escutar CIDADE FM LITORAL direto de seu dispositivo movel.

img

Copyright © 2022 CIDADE FM LITORAL. Todos os direitos Reservados.